Saint-Tropez, costa da Riviera Francesa

A pequena grande ilha de pescadores

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

Obs: Esta é a Parte 3 da crónica Viagem a Itália 2011. Podem ler o início a partir daqui.

A chegada...

A viagem desde Barcelona por estradas secundárias estava a ser de descoberta. Por uns bom quilometros não sabíamos se ainda estavamos em Espanha ou se já tinhamos entrado em França. Os nomes das vilas nesta zona, começam a ser uma mistura de espanhol com francês, ou vice-versa. A verdade é que fomos grande parte do tempo a um verdadeiro ritmo de passeio, e a certa altura lá nos deparamos com a Fronteira Francesa, incrustrada entre duas serras.

Passando a fronteira e já no lado Francês, mais uma vez "descaímos" na direção da costa, percorrendo grande parte da viagem encostados novamente ao mar. É evidente que não damos descanso à máquina fotografica. Para nós, cada metro percorrido é de descoberta, e, verdade seja dita, a paisagem nesta zona é muito bela.

Chegámos ao hotel já anoitecia, eram cerca das 21h. Hoje não havia tempo nem força para voltarmos a sair. Jantamos ali mesmo e fomos descansar, pois no dia seguinte queríamos levantar-nos cedo.

Às 8 horas já estavamos a tomar o pequeno almoço junto à piscina. De salientar que este era o segundo Hotel Ibis onde dormiamos, e estavamos bastante satisfeitos com a qualidade desta cadeia de hoteis. São práticos, relativamente baratos e com muita qualidade. Portanto, nada melhor que começar o dia a comer verdadeiros croassants à beira da piscina, com uma temperatura a rondar os 24 graus.

Malas arrumadas lá arrancamos para desfazer os 20 km até ao Porto de Saint-Tropez. Passada a confusão labiríntica do local onde estavamos e encontrada a saída na direção certa, lá seguimos embalados pelo ambiente até à famosa marina.

p
u
b

A Vila de Saint-Tropez

A vila de Saint-Tropez teve a sua origem numa pequena vila de pescadores, mas ao longo dos anos foi-se tornando num destino de verão frequentado pelas gentes das classes mais abastadas. De tal forma ganhou fama, que atualmente é um dos locais franceses mais procurado nos meses quentes, principalmente entre jovens milionários e estrelas de Hollywood. Expoente máximo desta romaria, é seu pequeno porto apinhado de iates e veleiros, rodeado por pequenos edifícios cheios de charme, cafés e esplanadas viradas ao porto.

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

Estacionamos as motas no primeiro local que vimos, mesmo no centro do pequeno largo do cais. À nossa frente dois Gendarmes observam-nos com curiosidade, afastando-se gentilmante para nos dar espaço. Estacionadas as motas e capacetes guardados, lá estavamos prontos para começar o passeio pedestre pela zona, de máquina fotográfica em punho.

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

Àquela hora matinal sentimo-nos como que fazendo parte do começo do dia na vila. Os bares e cafés abrem as portas preguiçosamente, as logistas limpam as vitrines de lojas recheadas de artigos marítimos, e no porto uma dezena de longos veleiros estão alinhados na direção do mar azul. As tripulações andam em roda vida, vemos uma ou outra câmara de televisão, observamos equipas de marinheiros a definirem a estratégia para a regata que, temos a certeza, vai ter início a qualquer hora do dia que começa.

p
u
b

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

Andamos por ali a observar tudo o que nos rodeia. Os artistas de rua já têm as suas bancas montadas com belos quadros expostos. O tema não pode ser outro, o mar, o campo, a natureza. Os quadros espelham o que sentimos. Continuamos caminho passo-a-passo, atentos a todos os pormenores.

Estivemos ali boa parte da manhã, embebidos pela beleza do local. A vila finalmente acordou e há movimento em todos os cantos. Aproximamo-nos da hora do almoço, a temperatura já ronda os 28 graus. É hora de nos fazermos à estrada, pois Pisa é a próxima paragem... e ainda temos tanto para ver no caminho!

p
u
b

Tinhamos programado uma rota junto à costa, passando por Cannes e Monte Carlo, percorrendo a Reviera Francesa pelas estradas nacionais em direção a Antibes e finalmente, Itália... Mas depressa mudámos de ideias. Deparamo-nos com um trânsito caótico, com muitos veraniantes em constante rodopio à volta das centenas de praias à nossa direita. Do lado esquerdo a paissagem começava a tornar-se montanhosa, serras com picos altos e muitas vilas apinhadas de carros e gentes... O verde das montanhas contrasta com o azul vivo do mediterrânio, com belas praias a sucederem-se no lado direito.

Àquela hora o calor apertava, e depressa nos encontramos a atravessar uma das serras em estrada sinuosa. Perdemos cerca de 2 horas para percorrer 100km. Concluímos que nos estavamos a atrasar bastante. Paramos num café no topo da serra, um largo ou centro de uma aldeia, e ali decidmos ir apanhar a auto-estrada diretos ao nosso destino.

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

 

Saint-Tropez, na costa da Riviera Francesa

Tinhamos que recuperar terreno e assim o fizemos... Escolhemos demorar-nos mais em itália do que continuarmos a percorrer aquela bela mas sinuosa estrada na serra. Afinal, o nosso destino era Pisa, Toscana...

Apanhamos a Auto-via e só paramos para abastecer. Entramos em Itália do lado norte de Sanremo, e logo ficamos deslumbrados com a paisagem costeira. Claro que de imediato paramos para tirar umas fotos, e esticar um pouco as pernas....Mas esta parte fica para o próximo capitulo!

A seguir, a chegada a Itália e a visita a Pisa. Cliquem aqui para a Parte 4 desta crónica!

 


Write a comment

Comments: 0

Pesquisa:

 

by Fusionbot | Mapa do Site

www.AutoPECAS-ONline.pt

Fri

13

Oct

2017

O que representas para eles é a liberdade

Diz a personagem de Nicholson à de Hopper, em Easy Rider. Não, não é do meu tempo (embora 69 também tenha sido um ano de boa colheita), mas é intemporal. Esta é a frase que define o filme.

Read More 0 Comments

Wed

15

Feb

2017

Como escolher o bom tipo de pneu de moto?

Existem cada vez mais categorias, gamas e tratamentos de pneus de moto. Não é fácil escolher o melhor tipo de pneu de entre tantos modelos e escolhas possíveis.

Read More

Thu

02

Feb

2017

Equipamento para andar à chuva

Andar confortável é o primeiro passo para uma condução segura...

Read More
A história do Mototurismo

Grupo de Amigos Pan-European

Turismo-de-moto, turismo, mototurismo, iajar-de-moto, viagens, viajante
Procure-nos no facebook

© Desenvolvido por Magnasubstância

As imagens deste site não podem ser utilizadas sem autorização prévia. Proteção de dados.